A minha Lista de blogues

fundo

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

A VIDA DE UMA SEMENTE

Enquanto grão fui à terra mandada,
Depois da mesma, cavada, mexida...
Fui na terra semeada...!
E na terra fui regada...
Quando já estava crescida.

Criei raízes, caule, folhas, flores;
E voltei a ser semente...
No ano seguinte:
Voltei de novo à terra molhada...
E de novo fui para o saco...

_Mas a espera é grande e,
Todo o meu corpo, secou de sede,
Até voltar de novo à terra molhada!
Depois de multiplicada...
Fui de novo semeada!

04-08-1984

2 comentários:

Minda disse...

Bonito poema.

Uma planta, esperança na terra cresce e a Isabel tão bem descreve.

Gostei, muito. Como, aliás, tem sido até à data em relação a todos os poemas da Isabel que vou tendo o privilégio de ler.

Bjs

Isabel Moreira Rego disse...

Amiga, obrigada pelas suas palavras. Os meus poemas são de um poeta que escrece... e depois não se lembra nem de um verso. Sabem as pessoas que os lêem melhor de que eu.... será que todos os poetas são assim?

bjs
isabel

POEMAS Á MINHA RUTE

A minha foto
ALMADA, SETUBAL, Portugal
Social, sincera, amiga, alegre, divertida... e alguns defeitos: como directa, verdadeira, frontal...

FLOR

FLOR