A minha Lista de blogues

fundo

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

CONTRASTES


A VIDA DE UMA SEMENTE

Enquanto grão fui à terra mandada,
Depois da mesma, cavada, mexida...
Fui na terra semeada...!
E na terra fui regada...
Quando já estava crescida.

Criei raízes, caule, folhas, flores;
E voltei a ser semente...
No ano seguinte:
Voltei de novo à terra molhada...
E de novo fui para o saco...

_Mas a espera é grande e,
Todo o meu corpo, secou de sede,
Até voltar de novo à terra molhada!
Depois de multiplicada...
Fui de novo semeada!

04-08-1984

domingo, 10 de agosto de 2008

USOS E COSTUMES


DE VOLTA AO PASSADO

As sementeiras, antes do aparecimento das máquinas agrícolas, no algarve e no resto do mundo, eram feitas... assim!
Como mostra a imagem acima.

10-08-2008

LEMBRANÇAS


LEMBRANÇA, DE TUA MÃE, PARA MIM

Reverso do postal:
"Minha mãe, deixa-me dar-te as estrelas"
Data: 06-05-1990
O postal foi feito de cartão, pela tua mãe, com aplicações manuais, de flores...
Como mostra a imagem acima.

09082008

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

ESTAS FORAM AS ROSAS QUE TE DEI


ROSAS VERMELHA PARA A RUE

Estas foram as rosas que te dei...
No dia que nasceu por ti,
O meu amor...
As rosas de perfume imaculado.
As rosas vermelhas...
Que me colocaram a teu lado!

08-08-2008

FLOR DO MEU JARDIM


AS ESTRELAS BRINHAM NO CÉU


JESUS CRISTO SUPERSTAR

365 dias, menino...!
Minutos multiplicados...
Segundos? (...) Sei lá!
Só sei que chegou o dia esperado:
O dia do teu renascimento.

05-02-1979

LARANJEIRO - ALMADA - EUROPA


PARIS - LE LUXEMBOURG


PALAVRAS DA MINHA ALMA

O meu estado de espírito é escrever, hoje, aqui, o paradoxo que existe entre o passado e o presente. Não sou contra a evolução... mas, a favor da conservação do património cultural e ambiental... em suma: preservar a nossa identidade... perante a europa e, nem só, todo o globo terrestre.

cidadania...!

PRAIA DA ROCHA - NOS ANOS 80


ALGARVE, MINHA TERRA

Minha terra, meu algarve,
Como tu estás diferente!
Tornaste-te hospitaleira, mas
Todavia menos crente...!
Os teus filhos te abandonaram, mas
Logo outros te adoptaram, porque
És grande a valer!

Esses teus filhos de outrora,
Orgulham-se de ti agora,
Por aquilo que lhes fazes ver...

O teu nome é eterno, o teu seio
Acolhedor, por isso, os que te conhecem
Todos te têm amor!

As tuas praias, são as melhores,
As suas águas, as mais quentinhas,
Sem contar com o sol, as areias e,
As conchinhas!
As algas, essas ervinhas, que enervam
O nadador, são todavia fresquinhas,
Mesmo antes do sol se pôr!

11-09-1982

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

RETALHOS DO PASSADO


PRIMAVERA EM FLOR


A VIDA VOA SEM ASAS


FLOR DA MEU JARDIM


PENAS QUE A VIDA ARRASTA


FLOR DO MEU JARDIM


FLOR DO MEU JARDIM


RETALHOS DO PASSADO


RABISCO ENFEITADO


PRIMAVERA EM FLOR


FRUTA VERMELHA SAÚDE INTEIRA


RABISCOS DO PRESENTE


CAPRICHOS DE CRIANÇA

Enquanto fazes rodar o teu peão
Eu brinco todos os dias, à desgarrada
Com a minha boneca de trapo e botão
Pela noite dentro, até à madrugada.

O teu arco metálico, roda no eixo
O teu peão de madeira, roda no chão
A minha boneca mesmo sem eixo
Anda, chora dança e canta que mais não!

No centro dos olhos que não te vêem
Há brinho de um botão de quatro furos
Pregados com fio de lã, em pano de meia,

E cabelos de barba, de milhos escuros.
Nos pés e nas mãos não há dedos e anéis,
Mas, a minha boneca é bonita, como vês!?

01-05-1947

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

domingo, 3 de agosto de 2008

FLOR DO MEU JARDIM


OS TEUS OLHOS NEGROS

Nasceste no Outono, minha vida,
Tão pequenina... de olhos negros,
Redondos, como diamantes lapidados,
Em forma da terra, do sol, das estrelas.

E sempre que te visitava, minha querida,
Na casa dos teus pais...
Os teus olhos
Fixavam uma pedra, em forma de coração,
Pendente do meu pescoço...
Eles, os teus olhos, brilhavam de alegria, e,
Assim me reconhecias
Nos dias seguintes...

25-04-2007

FLOR DO MEU JARDIM


O TEU E O MEU CORAÇÃO

O meu coração de madrepérola,
Que trago no peito,
Pendente dum fio de ouro...
Eu prometi dar-to quando dezoito anos fizeres.

O fio de ouro também será teu, minha neta,
Nesse mesmo dia.

O prometido é devido...!

25-04-2007

FOR DO MEU JARDIM


LEMBRANÇA

Muito pequenina eras quando nasceste
As tuas mãos rosadas,
Dedos esguios,
Pegavam incertas na roupa em pavios
E a graça que tinham, nunca viveste...!

25-04-007

FLOR DO MEU JARDIM


MESES DEPOIS

A uns meses de teres nascido
De olhos redondos, negros, pávidos,
Olhavas o mundo para onde vieste...

Encantada ficavas olhando as tuas mãos
E nelas, os dedos mexias com gosto...
Muitas vezes choravas:
De dor ou de desgosto...?!

25-04-2007

sábado, 2 de agosto de 2008

FLOR DO MEU JARDIM


LIBERDADE

Hoje é dia da Liberdade!
Onde estás minha netinha?!
A liberdade a que temos direito
Não se adivinha...

Eu estou na minha casa
Tu na tua casinha
E a vida sendo uma passagem
Eu passo a vida sozinha...

E nós, passamos a vida, sem nos vermos?!

25-04-2007

FLOR DO MEU JARDIM


O SONHO

No colégio te visitei
E algumas vezes sonhei
Ir contigo passear...

Muitas vezes passeamos
No jardim, no parque andamos
No carrossel sem parar,
Mas, o amor não perdoa
E o coração volta a reclamar!

25-04-2007

ESTA FOI A ROSA QUE TE DEI


MENSAGEM

Esta pequena mensagem
Eu deixo aqui
Minha querida netinha
Para quando fores crescida, lembrares,
Que um dia tiveste avozinha!

Se o amor fosse um objecto
Saberias que te amo olhando-o
Mas, como o amor não é objecto
Eu penso viver
E com o teu amor ir sonhando!

25-04-2007

FLOR DO MEU JARDIM


RECORDAÇÕES

Eu recordo todos dos dias
Que estivemos juntas
Das brincadeiras
Que nos divertiram!
Tenho recordações, muitas...
muitas e muitas...

25-04-2007

A BORBOLETA VOA, O VENTO ARRASTA


PENSO EM TI

Eu penso
Todos os dias...
Que estás bem,
Que estás feliz...
Estares londe de mim,
Eu nunca quis!

26-04-2007

DAS DUAS QUAL A MAIS BONECA?


RUTE MINHA NETA

Os meus olhos acordam
Dia e noite
Para te ver
E por que não te vêem...
A minha alma grita sem quer!

27-04-2007

SAUDADES DE MENINA


SAUDADE

Avozinha, eu tinha tanta saudade
De cair nos teus braços...
Eu tinha tanta saudade...!
Estes dias sem te ver, avozinha,
Fizeram do meu coração: refém,
Dos meus olhos: cristais sem brilho,
Da minha vida: destino, em forma de solidão!

Avozinha, eu tinha tanta saudade
De te abraçar,
De te apertar nos meus braços...
Com carinho, com amor, com saudade...

28-04-2007

MINHAS RECORDAÇÕES


POEMAS Á MINHA RUTE

A minha foto
ALMADA, SETUBAL, Portugal
Social, sincera, amiga, alegre, divertida... e alguns defeitos: como directa, verdadeira, frontal...

FLOR

FLOR